Conheça o funcionamento e como usar o Waveform

Ricardo Pizzotti

O waveform - monitor de forma de onda - é um equipamento de teste (osciloscópio) e monitoração de sinais de vídeo, que exibe em um gráfico a porção preta e branca da imagem. É usado para medir a voltagem do sinal e conferir se as pulsações e o esquadrinhamento do sinal estão ocorrendo nos tempos corretos. Uma forma de onda mostra como a corrente alternada varia no tempo.

Os sinais de vídeo são formas de onda complexas compostas de sinais representando uma figura, assim como das informações sobre sincronização necessárias para exibir a figura. O waveform é um dos instrumentos que permite capturar e medir esses sinais complexos.

 

Por meio do waveform a qualidade e a amplitude da imagem são mais bem avaliadas. 

Com ele linhas individuais de imagem podem ser selecionadas e examinadas, permitindo ajustar a exposição e verificar a precisão dos pulsos de sincronismo.

 

Sobre a linha de base do waveform temos o sinal de imagem, logo abaixo os pulsos de sincronismo. Os níveis de imagem estão em uma escala de unidades IRE de 0 a 100 (140 unidades IRE equivalem a 1 volt do sinal de vídeo mais sincronismo no vídeo composto). 

 

Os pulsos de sincronismo são medidos de 0, linha básica, até -40 unidades. No vídeo composto, a informação de crominância se parece com um sinal de alta frequência sobrepondo o sinal de luminância. No sinal de vídeocomponente, luminância e sinais de diferença de cor são mostrados lado a lado.

A ilustração mostra o esquadrinhamento do feixe de elétrons de duas linhas de informação do sinal de vídeo. A linha base é 0 unidade IRE ou 0 volt. A voltagem máxima é 100 IRE limite para o nível de vídeo. As voltagens mais altas são as partes mais luminosas da imagem, as mais baixas as partes mais escuras. 

 

A área sobre a linha base onde são registradas as porções de preto é chamada de pedestal ou set up. Uma imagem com qualidade perfeita deve estar distribuída entre 7,5 IRE (black) e 100 IRE (pico de branco). 

 

Um ponto (f stop) no fotômetro é igual a 20 IRE no waveform

14.png

Aprenda tudo sobre operação de câmeras de vídeo

clique aqui

O sinal de vídeo ideal (numa imagem normal) vai de 7.5 IRE (onde o "preto" deve começar) a 100 IRE (onde o "branco" deve acabar). A escala de cinzas captada pela câmera deve reproduzir as várias divisões distintas da escala.

 

Idealmente, um monitor de computador devidamente ajustado (configurado para 256 cores ou mais) tem 16 divisões conforme  a escala de cinzas acima. Os bons monitores de computador normalmente  reproduzem cores e a escala de cinzas com maior precisão do que os aparelhos de TV.

 

O monitor de forma de onda, juntamente com o fotômetro, são as duas ferramentas básicas para garantirmos a exposição apropriada e um bom sinal de vídeo. Vale dizer que um f-stop no fotômetro se traduz em 20 IRE no monitor de forma de onda.  

 

Instruções

Fonte: eHow Brasil

 

1 - Certifique-se de ajustar o monitor de forma de onda ao sinal que você está gerando. Atualmente, os vídeos são produzidos em quatro modelos básicos: NTSC (National Television Standards Committee - Comitê Nacional dos Sistemas de Televisão), sistema de vídeo usado nos Estados Unidos; PAL (Phase Alternation Line - Linha de Fase Alternante), usado pela maioria dos países; SECAM, usado em sistemas de transmissão na França, e vários formatos de alta definição. Ainda há os monitores de forma de onda que também verificam componentes e sinais YC. Neste artigo, trataremos do sinal de vídeo composto NTSC.

 

2 - Antes de conectar sua fonte de vídeo no monitor de forma de onda, aplique a terminação, ou seja, coloque um resistor de 75 ohm no terminal da linha usando um terminador que pode ser acoplado a um conector BNC, ou posicionando a chave do monitor na posição 75 ou on (ligado). Os sinais padrão NTSC são de 1 volt pico a pico, ou seja, desde a base até o pico do sinal em uma carga de 75 ohms. Certifique-se de que a chave de calibração esteja definida como padrão. Sinais muito grandes que parecem não caber na tela possivelmente não receberam terminação. Sinais que parecem estar encolhidos indicam muita terminação. Veja se você não colocou duas chaves de terminação na posição on (ligar) ou se está usando uma chave e uma carga de terminação.

 

3 - Verifique essas chaves: veja se a chave de entrada está corretamente ajustada para o lado A ou B. Mude para o modo 2H, que significa duas linhas horizontais. Lembre-se de que uma imagem de vídeo padrão NTSC consiste em 525 linhas horizontais, dividida em dois campos. Na tela você verá metade de todas as linhas uma em cima da outra com um campo no lado esquerdo da tela e o outro do lado direito. No centro é exibido um espaço em branco horizontal. Essa forma de onda consiste em um sinal de brilho chamado luminância e um sinal de cor chamado crominância, que é uma onda senoidal que transporta o sinal de brilho. A chave IRE exibe apenas a porção da luminância do sinal de vídeo. A Flat (Plano) exibe a crominância e a luminância. Alguns monitores têm apenas uma chave Chroma (cor). Use a chave flat para obter uma imagem completa.

 

4 - Você deve calibrar seu monitor de forma de onda antes de fazer a medição de suas entradas de vídeo. A maioria dos monitores possui um botão REF, que gera uma onda quadrada de 1 volt de pico a pico. Ligue esse botão. Use o botão de posicionamento vertical para ajustar a base do sinal, sincronia horizontal, em -40 IRE. O pico deve ser de 100 IRE. Se você não conseguir obter esse valor, use o botão de exibição vertical no modo ajustável para aumentar ou diminuir o sinal até atingir toda a faixa de 140 IRE.

 

5 - Desligue o botão REF do monitor de forma de onda. Olhe para a sua fonte de vídeo. As barras de cores devem combinar entre si. Se isso não ocorrer, você deve chamar um técnico para ajustar a sua fonte. Se as barras combinarem, desligue o botão de barras de fonte e comece a fazer o vídeo para monitorar o sinal de saída no monitor de forma de onda.

 

6 - Como vimos nesta escala, ao ajustar o sinal de saída de diferentes fontes de vídeo, quer sejam câmeras ou geradores gráficos, a saturação, cor e brilho relativos também ficarão iguais. Tenha em mente que as barras de cor do sinal NTSC devem abranger toda a extensão do vídeo, desde o preto mais escuro até o pico de branco. Nem todos os sinais de vídeo alcançarão essa extensão. Se estiver usando uma câmera, abra a íris até que os picos de forma de onda estejam em 100 IRE. Os picos podem ser grandes. Eles serão cortados na transmissão ao serem transformados em branco. A maioria das cenas deve ser de cerca de 80 IRE. Se a cena tiver áreas grandes muito escuras quando você já estiver em 100 IRE, adicione mais luz ao invés de abrir a íris ainda mais. Se uma grande parte de seu sinal for maior que 100 IRE, diminua a íris. Experimente em diferentes cenas. Não é uma verdade absoluta, mas o brilho em excesso pode vazar no áudio, causando ruído durante a transmissão. Um monitor de forma de onda é muito útil e possibilita um maior controle da exposição do que qualquer sistema de íris automático ou teste de zebra em seu visor.       

Saiba mais

Produção de televisão

2017 - 2020 © Ricardo Pizzotti