Visagismo

Ricardo Pizzotti

O visagismo é composto pelos artifícios que permitem criar uma imagem revelando as características físicas de uma pessoa e os princípios da linguagem visual. Utiliza para isso a maquiagem, o corte de cabelo, entre outros recursos estéticos. Seu objetivo é adequar a aparência à personalidade e à preferência de cada pessoa, aliando seu interior com seu exterior. 


Derivado da palavra francesa visage, que em português significa “rosto”, o visagismo parte do princípio de que cada um tem sua própria beleza e de que é preciso ressaltá-la em vez de tentar transformar a pessoa em um “modelo”.


Agda Patrícia Pontes de Aquino (2009), jornalista e designer de moda, explica:

O telejornalista cumpre um papel importante na padronização de estilos e no estímulo ao consumo simbólico de moda, seja através da vestimenta, de acessórios ou até mesmo de cortes e cores de cabelo. Por ser um membro da sociedade ao qual se atribui credibilidade e que aparece constantemente na televisão, o locutor de telejornal acaba se tornando referência no jeito de se vestir, portar, falar e apresentar da população, mesmo que essa forma de aparência não seja condizente com o clima, a etnia ou mesmo as culturas de quem toma esse padrão como referência para si mesmo. 


A utilização da técnica de visagismo não deve ser influenciada pelas tendências da moda, e sim pela escolha daquilo que realmente favorece a pessoa: a cor que combina com sua pele; o melhor corte de cabelo; a roupa que combina mais com sua personalidade; a maquiagem que valoriza mais seu rosto. É fundamental escolher as cores que realmente combinam com sua pele. A escolha deve sempre ser pessoal, mesmo contrariando a tendência da moda.

Figurino e maquiagem
Para o apresentador, o figurino e a maquiagem devem ser    bem-pensados, pois transmitem credibilidade e intimidade. Como explica Alexandre Arrabal, diretor de arte da Rede Globo, “um visual mais apurado é tão importante quanto um texto bom. As notícias são sempre as mesmas, o diferencial é como você conta a notícia. O furo não existe mais... quem conta com mais recursos e de maneira mais agradável faz com que o telespectador acredite mais” (apud Gomes e Verdélio, s/d.).


Para Rezende (2000), a imagem (dentro de uma concepção de jornalismo no Brasil) confere uma função primordial ao processo de codificação das notícias, enquanto a palavra cumpre um papel secundário, quase de mero complemento e suporte da informação visual. Paternostro (1987) justifica a soberania da imagem, afirmando que é por meio desta que a televisão compete com o rádio e o jornal, exercendo o fascínio que prende a atenção das pessoas.


O telespectador presta atenção a todos os detalhes do que está sendo transmitido, do cenário ao tom da roupa do apresentador. Isso dá ao quesito visual grande peso na conquista da credibilidade do público. Por isso, o apresentador deve tomar alguns cuidados diante das câmeras:

  • A cor de sua roupa deve contrastar com o plano de fundo e com o cenário.

  • Roupas brancas devem ser evitadas, pois forçam o fechamento do diafragma da câmera, o que acaba escurecendo o rosto do apresentador. 

  • Roupas brilhantes e tecidos xadrez ou com listras finas não devem ser usados, pois podem ativar uma vibração visual conhecida como “batimento”.

  • Deve-se descartar também o azul-claro, pois a maioria dos cenários dos programas jornalísticos é feita em tom azulado. Escolha tons escuros ou intermediários.
    Alguns tons, como o azul e o verde, criam um “buraco eletrônico”, uma interferência no recorte de chromakey.

  • O mesmo cuidado deve ser tomado pelas mulheres quanto a acessórios (brincos, colares e adereços) muito grandes.

  • A maquiagem deve ser sempre sóbria.

  • A câmera costuma “engordar” uns quilinhos. Se o apresentador estiver acima do peso, é preferível que opte por tons de roupa mais escuros.

  • As mulheres devem tomar cuidado com o comprimento das saias ao sentar. Na dúvida, não use saias em entrevistas de estúdio.

  • Os homens que usam paletó devem puxar a barra e se sentar sobre ele para evitar o efeito hulk nos ombros. O primeiro e o segundo botões do paletó devem ser abotoados. 

  • Blusas de golas amplas também não são ideais para uma entrevista na TV, pois não permitem a colocação de microfone. Prefira sempre as que têm lapela.

 

Maquiagem

A maquiagem para vídeo tem suas peculiaridades e é diferente da usada no dia a dia. Deve levar em conta o local da produção e sua iluminação, pois ambos podem alterar as cores da maquiagem. Isso deve ser avaliado pelo monitor, no set de produção.


As câmeras captam as imagens com grande sensibilidade, por isso é importante camuflar e corrigir as imperfeições do rosto, de modo que a imagem que chega ao público seja perfeita.


A maquiagem deve adaptar-se ao guarda-roupa e à imagem que se pretende passar. Deve realçar a beleza da pessoa, criando a ilusão de que não existe maquiagem, por isso sua aplicação excessiva é um erro. O tom da pele, dos olhos e do cabelo é referência obrigatória na escolha das cores que realçam a beleza de cada pessoa.


Fazer a própria maquiagem é algo arriscado — de preferência, ela deve ser feita por um profissional. Caso não se possa contar com um maquiador experiente, é preciso observar as recomendações a seguir para se automaquiar.

Automaquiagem feminina

  • Primeiramente, lave o rosto e remova com água e sabão toda a maquiagem que estiver usando.

  • Proteja a roupa com uma toalha ou avental de maquiagem.

  • Selecione uma base próxima de seu tom de pele. Se for necessário, misture duas ou mais cores.

  • Descolorações das pálpebras e olheiras devem ser cobertas com corretivo dois ou três tons mais claros do que a base.

  • Para dar forma aos olhos, utilize sombra marrom. Ela deve ser aplicada com cuidado para que pareça natural na televisão. O rímel dá um toque todo especial, complementando a sombra e criando uma camada sobre os cílios, deixando-os mais firmes e fazendo-os parecer maiores. No mercado existem diversos tipos de rímel, cada um para um resultado diferente.

  • Aplique uma linha fina de delineador em tom marrom médio (faça isso com um lápis ou pincel, em caso de delineador líquido). Para os olhos parecerem maiores e mais abertos, desenhe uma linha fina na parte inferior do olho. Na internet você vai encontrar diversos vídeos com o passo a passo para fazer essa aplicação.​

  • O lápis de olho é utilizado para contornar e dar destaque aos olhos. É o melhor cosmético para conseguir o tão desejado “efeito esfumaçado”. Na hora de escolher a cor do seu lápis, é importante levar em consideração a cor de sua pele:

Negra: dê preferência a tons mais brilhantes, assim você vai iluminar e destacar os olhos.
Morena: cores médias, nem muito brilhantes nem foscas, como rosa, lilás e azul, são as mais indicadas.
Branca: esqueça os lápis de olho cintilantes, eles não ficam bons em peles muito claras. Prefira as cores foscas. 

 

  • Para ajudar a delinear o contorno do rosto e “redesenhá-lo”, aplique um pouco de blush. Ele pode deixar seu rosto mais fino e até mesmo disfarçar imperfeições no nariz e no queixo. Para isso, é importante usar um blush dois tons mais escuros do que sua pele (cuidado para não passar disso!). As tonalidades ideais para seu tom de pele são:

 

Pele clara: blushes em tons de rosa ou levemente avermelhados.
Pele média: invista nos blushes em tom de pêssego.
Pele negra: a melhor opção são os blushes em tons mais fortes, como vermelho, violeta e com acabamentos metálicos.

  • Selecione cores labiais em tom marrom com um toque cor-de-rosa ou laranja. Evite vermelho e laranja brilhante, que não ficam bem no vídeo. O lápis de boca pode melhorar o contorno dos lábios e fazê-los parecer mais grossos ou mais finos. Em relação à cor, é fundamental que seja igual à do batom.

Automaquiagem masculina


A maquiagem masculina requer a maior naturalidade possível, ao contrário da feminina, que busca realçar a beleza. Por isso, algumas técnicas utilizadas nas mulheres são adaptadas.

 

  • O primeiro passo é aplicar um creme adstringente, com o auxílio de um algodão ou uma esponja, para remover o excesso de oleosidade da pele, sobretudo da zona “T” (testa, nariz e queixo).

  • Caso o homem tenha olheiras, deve-se usar um corretivo com tonalidade bem próxima de sua pele para disfarçá-las.

  • Com o auxílio de um pincel, espalhe o corretivo sobre as olheiras até que a pele absorva o produto. Se necessário, remova o excesso. Aplique o produto também no canto dos olhos.

  • A aplicação do corretivo também disfarça manchas e espinhas. Há produtos no mercado que, além de ajudar a cobrir as espinhas, ajudam a secá-las.

  • Para ajudar na uniformização da pele, aplique a base com o auxílio de uma esponja. Para os homens, as bases líquidas são mais indicadas.

  • Caso haja excesso de base na barba, remova-o com o auxílio de uma escova ou esponja.

Maquiagem para HD

As transmissões em alta definição fornecem uma qualidade de imagem superior da em formato analógico, criando imagens brilhantes com tal nitidez que se aproxima da qualidade de cinema.

Com isso, aquela ruguinha, o pelinho minúsculo, as marcas de expressão, manchas e olheiras são evidenciados.


A maquiagem High Definition surgiu para minimizar os efeitos da tecnologia HD no rosto de quem trabalha na frente das câmeras. Em sua maioria, servem para a preparação da pele, ou seja, são bases, corretivos, pó e primers (pré-maquiagem ou pré-base).


Na maquiagem para HD, o que muda é que tudo precisa ser muito suave e delicado. As cores têm de ser quentes, porém claras. No HD, o efeito deve ser de “pele fresca”, leve, como se estivesse sem nada. 


Os produtos para maquiagem HD são fabricados com micropigmentos fotocromáticos quase imperceptíveis, de cobertura leve e fácil aplicação. Eles dissolvem com mais facilidade e reagem à luz, dando a aparência de pele perfeita e natural.

2017 - 2020 © Ricardo Pizzotti