Como usar o fotômetro

A utilização dos medidores de luz

Ricardo Pizzotti

O fotômetro é o aparelho que mede a intensidade da fonte luminosa. Ele indica a exposição correta para determinada abertura do diafragma combinada com determinada velocidade do obturador.

       

O fotômetro utiliza uma célula fotossensível para medir a luz refletida por uma cena ou que incide sobre ela. É composto de um elemento fotossensível e de um amperímetro.

       

A maioria das câmeras atuais possui, internamente, sofisticados sistemas de fotometria. No entanto, para trabalhos profissionais, é necessário o uso de um fotômetro manual.

       

O fotômetro pode ser de leitura incidente, que dá a leitura da luz que incide sobre o assunto, ou de luz refletida, que dá a leitura da luz refletida pelo assunto. Este último pode ser do tipo spot meter, que mede pontos específicos de luz refletida, ou luz geral, que mede a luz refletida de um assunto.

curso de produção de televisão

Produção e direção de televisão e vídeo

CURSO COMPLETO

Às vezes, temos uma mistura de luzes, como a luz do dia entrando por uma janela num ambiente iluminado com luz artificial. Nesse caso, precisamos fazer algumas correções para que as cores saiam perfeitas na gravação. Para isso, podemos: 

 

  • Colocar um filtro azul em frente às fontes de luz artificial para corrigir os 3.200 K para 5.600 K da luz do dia (câmera balanceada para daylight).

  • Colocar um filtro âmbar na janela para que a luz do dia fique na mesma temperatura da luz artificial (câmera balanceada para tungstênio).

       

Por um lado, sem a utilização de filtros e com a câmera ajustada para tungsten (tungstênio), a luz de tungstênio ficará natural, enquanto a luz do dia ficará azulada.

 

Por outro, se a câmera estiver balanceada para luz natural (daylight), a luz do dia parecerá normal, enquanto a luz de tungstênio ficará avermelhada.

       

Para uma gravação normal, é suficiente usar os filtros da câmera de acordo com a fonte de luz predominante: daylight, fluorescent, artificial, 3.200 K ou 5.600 K e “bater o branco”.

 

Leitura incidente e refletida da luz

       

O processo de leitura fotométrico pode incidir, exclusivamente, sobre a energia lumínica que chega ao assunto fotográfico (lux) ou contemplar a energia refletida por uma determinada área do assunto.

       

A leitura fotométrica medida com a luz que chega ao assunto chama-se “método de leitura incidente”; já a leitura da luz refletida pelo assunto é chamada “método de leitura refletida”.

 

Fotômetro de luz incidente

       

É colocado na mesma luz que o objeto, lendo a intensidade de luz que chega ao assunto, registrando precisamente sua tonalidade, sua cor e seus contrastes.

       

Uma imagem mais clara que cinza médio ficará mais clara na captação. Uma imagem mais escura que cinza médio ficará mais escura na captação. Para conseguir uma medida precisa com esse tipo de fotômetro, devemos efetuar a medição próxima ao assunto fotografado, com a calota branca de plástico ajustável apontada para a fonte de luz.

       

O fotômetro que vem incorporado nas câmeras é do tipo incidente

A leitura fotométrica medida com a luz que chega ao assunto chama-se “método de leitura incidente”; já a leitura da luz refletida pelo assunto é chamada “método de leitura refletida”.

 

Fotômetro de luz refletida

       

O fotômetro de luz refletida lê a intensidade da luz que reflete do assunto, por isso, é enganado facilmente pelas diferenças de tonalidade, cor, contraste e brilho de fundo. O que vemos em geral não é o que iremos captar. 

       

Para evitar erros de fotometragem, deve se aproximar do objeto e travar o fotômetro ou anotar a leitura da superfície desejada, ou ainda aumentar o ângulo se o fotômetro for do tipo spot — fotômetro que lê a luz refletida em áreas a partir de 1 grau, através de lentes que podem aproximar o assunto. 

       

Os dois tipos de fotômetro trabalham com o padrão cinza médio, que reflete 18% de luz. Os fotômetros de mão funcionam com os dois sistemas. Caso usemos o de luz refletida, a medição será correta se as zonas de contraste derem conjuntamente uma densidade igual ou média (cinza médio) de 18%.

       

A utilização de um objeto que tenha uma cor neutra de cinza para fazer a fotometria garante que o fotômetro da câmera entenda qual é a luz efetiva, ou ideal, para ser fotometrada. 

       

Portanto, quando usamos o cartão cinza e não os objetos a serem fotografados, evitamos que o fotômetro se confunda pelos contrastes de luz e sombra existentes no assunto. Essa confusão acontece porque o fotômetro de uma câmera analisa apenas a luz refletida pelo objeto, e não a luz que incide sobre ele. Então, a capacidade de maior ou menor reflexão é fator predominante de influência para a câmera mensurar qual a combinação necessária de obturador e diafragma e assim obter a correta exposição da imagem.

2017 - 2020 © Ricardo Pizzotti