Técnicas de locução

Ricardo Pizzotti

Locução de notícias 


A leitura de notícias no ar exige do locutor uma boa colocação vocal, articulação perfeita para promover o entendimento de cada sílaba, modulação adequada à interpretação e credibilidade. O formato da leitura de notícias está associado à segmentação da rádio, ao posicionamento da notícia dentro do programa e ao próprio conteúdo. Um mesmo fato será noticiado de maneira diferente em um programa jornalístico de AM, em uma emissora FM popular e uma emissora FM jovem. A adequação da linguagem e a utilização da voz estão ligadas ao segmento da emissora de rádio. Muitos elementos são comuns na locução de notícias. São eles: 

  • Credibilidade: é conseguida por meio da colocação vocal e da interpretação, além, é claro, do compromisso ético do profissional. Para ter credibilidade, a notícia deve ter uma interpretação natural e dar a impressão de que a nota está sendo lida (ou seja, já foi preparada por uma equipe antes de ir ao ar).

  • Colocação vocal: o locutor deve utilizar sua voz naturalmente, imbuído de toda a técnica de locução aprendida. Principalmente nos programas jornalísticos e nas emissoras AM, é desejável a utilização do grave da voz, o qual está associado à credibilidade.

  • Articulação: para esse tipo de locução, assim como para a locução comercial, a articulação deve ser precisa para garantir o perfeito entendimento e a compreensão da mensagem. Uma única palavra não compreendida comprometerá o entendimento da notícia.

  • Interpretação: a correta interpretação do texto fará a audição ser agradável e atrativa; por isso, procure sempre encontrar as nuances interpretativas, preparando-se para colocar a notícia no ar. 

Preparando-se para entrar no ar 


Ao receber a lauda, o locutor deve se preparar da seguinte maneira: 

  • Ler a notícia, compreendendo plenamente seu conteúdo, o contexto no qual a notícia está inserida e qual público terá interesse pelo assunto. 

 

  • Identificar palavras de difícil pronúncia e termos em outros idiomas. Tentar se acostumar com eles e, quando for o caso, pronunciá-los em voz alta para acostumar suas articulações com possíveis fonemas complexos. 

  • Traçar um plano respiratório, fazendo as marcas de respiração do texto. Observe o exemplo a seguir: 

 

A TAXA DE DESEMPREGO APURADA PELO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA NAS SEIS PRINCIPAIS REGIÕES METROPOLITANAS DO PAÍS / FICOU EM NOVE VÍRGULA TRÊS POR CENTO EM JANEIRO, MAIOR DO QUE A TAXA DE OITO VÍRGULA QUATRO APURADA EM DEZEMBRO DO ANO PASSADO. / O RESULTADO CORRESPONDEU ÀS EXPECTATIVAS DE ANALISTAS OUVIDOS PELA AGÊNCIA ESTADO. //

Observe que o texto possui duas barras (/) — uma depois da palavra “PAÍS” e outra depois da palavra “PASSADO”. Essas barras podem ser colocadas pelo redator ou pelo locutor, que deverá fazer a leitura do texto em voz alta e definir os melhores pontos de respiração, sem comprometer a interpretação.

Tipos de locução de notícias 

Cada tipo de locução jornalística tem uma maneira adequada de interpretação. As principais estão relacionadas a seguir:

  • Noticiário econômico: sóbria, com presença de grave e explicativa, priorizando credibilidade.

  • Noticiário policial: sóbria, com presença de grave e descritiva.

  • Noticiário esportivo: média, altamente explicativa e preferencialmente comentada.

  • Noticiário político: sóbria com nuances específicas para cada assunto, priorizando credibilidade.

  • Notas do mundo artístico: descontraída, no formato de “bate-papo”, priorizando o fator “curiosidade”.

  • Dicas em geral (beleza, alimentação, etc.): descontraída, mas com credibilidade.

  • Dicas de entretenimento: descontraída, com presença de sorriso na voz.

 

Notícias manchetadas 


O texto manchetado é uma modalidade que utiliza frases curtas e objetivas que, quando colocadas em sequência, compõem uma única notícia com início, meio e fim. Costumam ser utilizadas em programas de notícias com dois ou mais locutores, e a leitura é feita em formato de jornal. Um excelente exemplo desse tipo de locução é o "Jornal da Manhã", que vai ao ar na Rede Jovem Pan desde o início da década de 1970. Esse tipo de notícia também requer técnica e treinamento.


Para esse tipo de locução, é importante ressaltar que, embora haja dois locutores, o ouvinte deve ter a sensação de continuidade. Para tanto, é importante:

  • Que as vozes sejam compatíveis (não necessariamente iguais, mas que componham um harmônico auditivo adequado).

  • Que a interpretação seja contínua e similar.

  • Que não haja pausas demasiadas entre os locutores.

Para isso, seguem algumas dicas: 

  • Combine o estilo interpretativo com o locutor que o irá acompanhar.

  • Sempre que um locutor chegar à última palavra de uma frase, o outro deverá estar inspirando para iniciar a sua próxima frase.

  • A intenção interpretativa de finalização só deverá ser usada na última frase da notícia; as demais deverão usar intenção de continuidade.

  • Fique atento às frases que estão sendo lidas pelo colega para não perder o momento certo de entrar.

Curso de locução de rádio
Lançamento
Locução de rádio
saiba mais >

Locução em externas 


A locução in loco, que visa à cobertura de determinado fato ou evento, também possui características e cuidados especiais. Quando o locutor não está no seu ambiente de trabalho, mas precisa transmitir uma informação a partir de um local que não é preparado para tanto, as atenções devem ser redobradas, principalmente por conta de influências externas, como sons, interrupção de transeuntes, falta de retorno e muitas outras.


Para esse tipo de cobertura, o locutor utilizará alguns aparelhos específicos:

Telefone celular: grande aliado do repórter ou do locutor que faz cobertura externa. Em virtude do baixo custo de aquisição e da qualidade que vem se aprimorando com o passar dos anos, o celular é uma alternativa para entradas ao vivo de qualquer local, já que sua cobertura é ampla, principalmente nos grandes centros. Os estúdios de rádio possuem um equipamento chamado “híbrido”, que permite a entrada do som do telefone no ar e, ao mesmo tempo, dá o retorno da programação no próprio telefone, possibilitando a interatividade com os locutores do estúdio.

 
Link de radiofrequência: sistema que utiliza equipamentos receptores e transmissores em determinadas faixas de radiofrequência. Os equipamentos devem ser devidamente homologados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para não interferirem em outros sistemas de comunicação. 


Linha privativa de comunicação: serviço prestado pelas empresas de telefonia e muito utilizado para transmissões em estádios de futebol. A qualidade do som costuma ser baixa, e a transmissão se dá em um único canal (mono). 


Equipamentos de gravação de externas: utilizados para posterior edição e veiculação. Existe um grande número de tipos e modelos de equipamentos de gravação. A relação custo-benefício mais indicada são os MP3 Players, que gravam com boa qualidade; contudo, existem outros equipamentos, como MD portátil e gravadores de outras mídias digitais e analógicas.


Microfone para externas: o modelo de microfone mais indicado é o unidirecional, que possui um range de captação fechado, diminuindo a inserção de sons e interferências do ambiente. Preferencialmente, deve ser grande e com empunhadura firme para dar segurança e controle ao locutor. 

Transmissão ao vivo 


Quando uma transmissão se dará ao vivo de determinado local, é necessário um prévio contato com o estúdio informando o horário aproximado da entrada. Em seguida, o locutor deve estar preparado e ouvindo a emissora em um aparelho receptor de rádio ou no retorno do próprio telefone (quando for o caso), possibilitando uma interatividade com o locutor do estúdio. 


Em caso de ambientes com barulho (grande circulação de pessoas, avenidas, shows, etc.), é adequado que o locutor procure se posicionar de maneira a receber a mínima influência dos ruídos, tomando o cuidado de não neutralizá-los por completo, afinal são eles que passarão a veracidade da cobertura externa.


Gravação em externas


Durante a gravação de externas, o locutor deve ter em mente o processo de edição. Pensar no formato final da matéria é essencial para a produção de um conteúdo adequado para posterior montagem. No caso de rádiojornalismo, é interessante traçar um roteiro da matéria finalizada para produzir os áudios adequados que serão inseridos em conjunto com as gravações feitas em estúdio. 

Atenção!
Sempre que estiver realizando uma externa, fique atento à comunicação do locutor do estúdio. Alguns problemas técnicos e queda da qualidade de transmissão podem ser percebidos por esse locutor, que poderá interromper a retransmissão e retomá-la mais tarde, quando as condições técnicas estiverem mais adequadas.

 
Antes de entrar no ar, verifique a qualidade técnica da transmissão com o operador de som, simulando sua entrada por aproximadamente trinta segundos para que sejam detectados possíveis picotes ou falhas de transmissão.

Produção de televisão

2017 - 2020 © Ricardo Pizzotti