Aprenda produzir programas de rádio

Ricardo Pizzotti

Rádio é feito em equipe. Um programa com maior qualidade técnica requer o trabalho de diversos profissionais. A exceção fica por conta de algumas rádios, principalmente FM, nas quais existe a função do locutor-operador, aquele profissional que faz a locução dos programas e, ao mesmo tempo, realiza também a operação dos equipamentos técnicos. 

 

Entre as funções de uma equipe de produção, citam-se as seguintes   

 

Pauteiro ou apurador: é o jornalista responsável pelo levantamento de todas as informações a serem veiculadas no jornalismo da rádio. É ele quem prepara a pauta e lista onde acontecerão os eventos, como as visitas de autoridades, entrevistas coletivas e campanhas de vacinação. Em programas de ficção, essa função é desempenhada pelo roteirista. 

 

Roteirista: é quem escreve todo o programa, das palavras que serão ditas pelo locutor até os efeitos sonoros e de edição a serem utilizados. 

 

Produtor: profissional responsável pela preparação de um programa radiofônico antes de a gravação ou de o programa irem ao ar. Agenda todas as atividades, entra em contato e convida os entrevistados, mobiliza a equipe, fornece as informações básicas e complementares para os âncoras e apresentadores.

Diretor: é o comandante de toda a equipe, responsável pelo conteúdo final do programa.

 

Locutor: peça-chave de qualquer tipo de programa de rádio; realiza o trabalho artístico.


Operador/editor de áudio: profissional que opera a mesa de áudio durante gravações e transmissões, respondendo por sua qualidade. É o responsável pelo “colorido” da programação: as vinhetas, os efeitos sonoros, as músicas e o abre e fecha dos microfones.


Programador musical: responsável pela parte musical da rádio. Escolhe desde as músicas adequadas à programação até as passagens e as vinhetas para os programas.

Etapas da produção

 

Para fins didáticos, utilizaremos como exemplo a produção de uma vinheta. 

Curso de locução de rádio
Lançamento
Locução de rádio
saiba mais >

Perceba como a produção de uma vinheta possui diversas etapas. Vamos conhecer seu roteiro:  

A partir do público-alvo a que se destina (neste caso, vamos imaginar que a vinheta seja destinada a uma rádio jovem), será feita a escolha das trilhas e dos efeitos. Essa atividade é realizada pela produção em conjunto com a sonoplastia. Entretanto, o locutor deverá saber o estilo da vinheta para que possa inflexionar a correta interpretação. 

Elementos de produção 

 

Para a realização de vinhetas, matérias e programas, é necessário conhecer os elementos de áudio envolvidos nas produções. 

 

Voz: refere-se ao texto gravado pelo locutor, com a devida interpretação, entonação, ritmo, velocidade e técnicas de locução. 


Trilha sonora: é a composição musical ou o conjunto de composições musicais que será usado como fundo na produção final da vinheta ou da matéria. Arnheim (1980, p. 27) considera a música a matéria-prima básica cujos parâmetros devem ser aplicados tanto na performance do locutor como nos efeitos sonoros, pelo fato de considerar o rádio como uma arte acústica, cujo trabalho consiste em representar o mundo para o ouvido.

Efeitos sonoros: são as interações e os ruídos sonoros que serão utilizados na produção com o objetivo de caracterizar o resultado da peça de áudio.

 

A palavra, surgida da força imaginativa do falante, desperta no ouvinte ideias e, como resultado delas, sensações. Da mesma forma, os ruídos, cuja causa não podemos ver, só podem despertar imagens. (Kolb, 1980, p. 115)

Filtros: são elementos de áudio aplicados à voz para valorizar ou eliminar determinadas frequências, ou para alterar velocidade e formato.

Um segundo no rádio pode ser utilizado com eficiência ou com descuido. Quando se abre o microfone e a luzinha vermelha do estúdio acende, muita coisa pode ser dita de um movimento a outro do pêndulo de um relógio. Esse segundo pode se tornar uma eternidade para quem não tem nada a dizer. No entanto, pode fazer a diferença e valer uma vida se você disser a coisa certa, na hora certa, para a pessoa certa. Assim, aproveita-se cada valioso segundo no rádio. 


A palavra falada pode durar um segundo quando o assunto não lhe interessa ou levar anos para terminar quando o seu desejo de saber é despertado. César, 2009, pp. 33-34)¹

¹Cyro César é jornalista e radialista, especialista em qualificação profissional para rádio. Atuou como locutor, produtor e coordenador em inúmeras emissoras paulistas, tendo passado pelas rádios Imprensa FM, Antena1, Record AM/FM, Cidade e Manchete FM.  Saiba mais

2017 - 2020 © Ricardo Pizzotti