O processo de edição

Como editar vídeo e áudio

Ricardo Pizzotti

A edição é o processo de escolhas: escolher cenas e sons que vão para o filme acabado.

 

Inicialmente, isso inclui escolher a cena que conta melhor a história de acordo com o roteiro decupado, respeitando ritmo e intenção visual. Em outro momento, também inclui a criação e controles, além de efeitos que podem ou não ter sido planejados durante a filmagem, como recursos slow motion e fast motion, inserção de gráficos e imagens de arquivo.

 

É necessária uma longa preparação antes de iniciar uma edição. 

 

Familiarize-se com a metragem, fazendo um registro do local onde se encontra cada cena, de sua qualidade e de sua utilidade. Em seguida, esboce um esquema em papel, enumerando os objetivos a atingir. 

 

Agora, você vai começar a editar. Primeiro, faça uma “montagem em material bruto”, ou seja, uma única sequência de todos os videoclipes desejados, na ordem escolhida. Isso pode levar uma hora ou mesmo alguns dias para ser feito, dependendo da duração do filme a ser produzido. Você poderá ter de alterar o comprimento dos videoclipes para adaptá-los perfeitamente uns aos outros; mesmo assim, ainda não fluirão como em um filme profissional. Não se preocupe com isso. Deixe passar algum tempo antes de retomar a montagem e, quando o fizer, certifique-se de que os videoclipes estejam dispostos na ordem em que deseja contar sua história. Se não estiverem, poderá mover os clipes para outro local, substituir por outros ou eliminá-los completamente. Quando tiver chegado a um resultado satisfatório da montagem, poderá completá-la com música, efeitos e transições.

 

Em um determinado momento, será mais adequado pedir a opinião de terceiros, pois você está muito próximo do produto final e poderá ser levado a fazer pequenas alterações desnecessárias. 

 

Áudio

 

Geralmente, uma edição falha por falta de uma trilha sonora. Por isso, o software de edição de vídeo inclui ferramentas de edição básica de áudio que permitem reproduzir várias trilhas de áudio ao mesmo tempo. Se uma trilha contém a voz de uma pessoa e uma segunda tem música, a qualidade do filme poderá melhorar bastante. Uma terceira trilha deverá ser utilizada para sons acidentais, como o ladrar de um cão ou o barulho dos aplausos. Você poderá encontrar um exemplo útil em documentários da tevê, nos quais o som original do local é misturado com a voz sobreposta do locutor e com uma melodia que liga as seções entre elas. 

 

É possível ainda ter duas trilhas de áudio tocando ao mesmo tempo, por exemplo, o riso das crianças misturado com o ruído da animação de uma feira. Com o software, você poderá modificar os níveis de volume de várias trilhas. 

 

Legenda

 

Quando tiver completado seu filme com a trilha sonora, você certamente desejará acrescentar algumas legendas. Isso poderá variar entre uma sequência simples de créditos com informações sobre o produtor, o escritor, o diretor, o editor, etc. e efeitos em tela mais complexos, como legendas animadas ou estatísticas. 

 

Seu produto de edição de vídeo deverá ainda incluir software de legenda para poder incluir palavras na tela caso essa função já não esteja integrada ao programa de edição. 

 

Quando utilizar legendas isoladas do filme, tal como o nome de uma pessoa na tela, a melhor solução é mantê-la visível por tempo suficiente para poder lê-la em voz alta a uma velocidade não muito rápida. 

 

Finalização

 

Assim que tiver feito ajustes no material em vídeo, definido a trilha sonora e acrescentado legendas, basta transferir a edição final (conhecida por montagem final) do computador para DVD ou para outra mídia.

 

Certifique-se de que compreendeu o processo, praticando com um filme pequeno, de aproximadamente 20 segundos, por exemplo, antes de iniciar um projeto maior.

 

Editando em um computador, seus filmes ficam compatíveis com todos os formatos digitais do passado, presente e futuro. Saiba mais

Produção de televisão

2017 - 2020 © Ricardo Pizzotti