Conheça e saiba como usar os diferentes filtros de câmera

Ricardo Pizzotti

Filtros são elementos ópticos transparentes ou translúcidos que alteram as propriedades da luz e têm a finalidade de modificar a imagem que está sendo registrada.

 

Eles podem afetar o contraste, a nitidez, a cor e a intensidade da luz, individualmente ou em várias combinações. Podem também criar uma variedade de “efeitos especiais”, balancear as cores, corrigir situações indesejáveis e até mesmo proteger a lente.  

 

É importante saber que, mesmo que haja muitas variações e aplicações, todos os filtros se comportam de uma maneira previsível quando suas propriedades são compreendidas e experimentadas. A maioria dessas propriedades é similar, tanto para captação em filme como em vídeo.

 

Os filtros reduzem a quantidade de luz que penetra na câmera. Por isso, é preciso ajustar a exposição de acordo com o valor de cada filtro. De maneira geral, os filtros exigem uma abertura maior (ou menor velocidade do obturador) do que aquela apontada pelo fotômetro. A alteração necessária vem indicada nas instruções de uso, designada como fator de filtro. Um filtro de fator 2, por exemplo, exige o dobro da luz indicada pelo fotômetro, sendo necessária, portanto, uma abertura de diafragma um ponto maior ou uma velocidade de obturador um ponto mais lenta. Como dobrar a exposição é expor um ponto a mais no obturador ou diafragma, um fator 16 significa uma correção de dezesseis vezes mais exposição (2-4-8-16), ou quatro pontos a mais. 

 

Graus dos filtros

 

Muitos tipos de filtros são disponíveis numa gama de “graus” de diferentes intensidades. Isso permite que se escolha a intensidade do efeito a ser usado para diferentes situações. O número de graus pode variar com o tipo de efeito; geralmente, quanto maior for o número, mais forte será o efeito. A não ser que haja especificações, não há nenhuma relação matemática entre o número e a intensidade do efeito. Um grau 4 não é duas vezes mais forte que o grau 2. O grau 1 somado ao grau 4 não forma um grau 5.

 

Filtros e a temperatura de cor

 

Uma câmera de vídeo é ajustada para registrar com perfeição uma temperatura de cor de 3.200 K. O uso do filtro eleva ou diminui a temperatura de cor para um número próximo dos 3.200 K necessários para a câmera captar perfeitamente todas as cores.

 

Se, por exemplo, uma fonte de luz for de 1.200 K, a imagem sairá amarelada por estarem faltando componentes azuis. Filtrando-se os componentes amarelos ou vermelhos da luz, consegue-se elevar a temperatura de cor e chegar aos 3.200 K. Nesse caso, o filtro deve ser azul.

 

Algumas câmeras incorporam alguns filtros, como o 5.600 K, para a luz do Sol, o filtro 5.600 K + 1/4 ND (densidade neutra ou neutral density) também para a luz do Sol, mas com o dia nublado, e o 3.200 K para iluminação artificial em estúdio.

Trabalho em televisão

Quando tiver dúvidas, em campo, sobre qual é a compensação necessária para um filtro sobre o qual você não tenha nenhuma informação, use seu fotômetro com o bulbo de luz incidente removido. Se tiver um difusor plano, use-o; ou então, deixe o sensor descoberto.

 

Dirija-o a uma fonte de luz estável de intensidade suficiente. Um bom exemplo é, a partir do chão, virar o fotômetro para o céu sem nuvens. Faça uma medição sem o filtro. Faça outra medição com o filtro, cobrindo totalmente o sensor. Nenhuma luz pode entrar pelos lados. A diferença nas medições é a compensação necessária para esse filtro.

 

Você também pode usar um spotmeter, ler a mesma superfície iluminada e ter resultados semelhantes. Há algumas exceções para determinar a compensação, de acordo com a cor do filtro, a sensibilidade do fotômetro e a cor da superfície, por exemplo, mas geralmente é melhor utilizar as técnicas adequadas do que tentar adivinhá-la.

Para se adquirir um filtro, é preciso saber o diâmetro da objetiva da câmera. Essa informação está na própria objetiva.

Filtros internos

As câmeras profissionais, em geral, vêm com alguns filtros internos que ficam localizados entre a objetiva e o prisma que divide a imagem para o sensor. São eles:

 

  • Proteção.

  • 3.200 K para gravação com luz artificial do tipo incandescente, de tungstênio ou halógena.

  • 5.600 K + ND para gravações com luz natural de maior intensidade (o neutral density reduz a exposição à luz em cerca de 3 stops). 

  • 5.600 K para gravações em dias nublados ou com luz fluorescente.

  • 5.600K + 1/6 ND (o neutral density reduz a exposição à luz em cerca de 64 stops). 

2017 - 2020 © Ricardo Pizzotti