Edição de imagens

Ricardo Pizzotti

Edição é o segredo que permite que um programa de televisão ou um filme conte uma história e o que dá aquele toque especial a um comercial. É a técnica de corte e montagem de sons e imagens em movimento, captadas por meio eletrônico e registradas de forma analógica ou digital, podendo ser feita de forma linear ou não linear.


Editar é colocar em ordem imagens gravadas na sequência e no tempo desejados, dando sentido ao material filmado. Consiste em decidir que tomadas usar e uni-las na sequência pretendida, seja ela cronológica ou não. O ritmo de um trabalho em vídeo é dado principalmente pela edição.


É também durante a edição que são inseridos efeitos especiais, trilhas sonoras, letreiros e eventualmente legendas.

Como tudo começou


Antigamente não existiam editores nem cortes. Os primeiros diretores só filmavam o que lhes interessava ou divertia. Continuavam filmando sem parar até ficarem entediados ou até a película acabar. Os pais do cinema, Thomas Edison, nos EUA e os irmãos Lumière, na França eram muito pessimistas quanto ao futuro do cinema. Havia um interesse mundial por aqueles retratos em movimento, mas, porque pagar por aquilo que se podia ver nas ruas?


De fato Auguste Lumière chegou a dizer que o cinema era uma invenção sem futuro. 
Mas Edwin Porter, um dos empregados de Edison provou que ele estava errado. Porter descobriu que  emendar tomadas criava uma história.


Ele começou a intercalar imagens e criar um impacto emocional no público colocando duas tomadas sem relação uma com a outra. 


Em um dos seus filmes, uma cena acontece em um lugar com os bombeiros indo apagar um fogo com seus carros puxados por cavalos e a outra é o incendio a quilômetros dali. Intercalando as duas, se entende psicológica e emocionalmente que vidas estão em perigo e aqueles bombeiros estão indo salvá-las e, de repente, o espectador torce para que isto aconteça e espera que eles as salvem. 


A invenção da edição possibilitou a decolagem do cinema. Ela trouxe à vida uma nova arte e uma nova linguagem. Uma linguagem que pode em um corte atravessar milhões de anos ligando o passado pré-histórico a um futuro imaginário. Pode desacelerar o tempo ou acelerá-lo. O ritmo de um corte pode assustar o publico ou diverti-lo.  A escolha e a duração das tomadas definem nossa relação ao que vemos. Todo o cineasta concorda: o que faz um filme é a edição. 

As etapas


A edição é o processo de escolhas: escolher cenas e sons que vão para o filme acabado. Inicialmente, isso inclui escolher a cena que conta melhor a história de acordo com o roteiro decupado, respeitando ritmo e intenção visual. Em outro momento, também inclui a criação e controles, além de efeitos que podem ou não ter sido planejados durante a filmagem, como recursos slow motion e fast motion, inserção de gráficos e imagens de arquivo.


É necessária uma longa preparação antes de iniciar uma edição. 


Familiarize-se com a metragem, fazendo um registro do local onde se encontra cada cena, de sua qualidade e de sua utilidade. Em seguida, esboce um esquema em papel, enumerando os objetivos a atingir. 


Agora, você vai começar a editar. Primeiro, faça uma “montagem em material bruto”, ou seja, uma única sequência de todos os videoclipes desejados, na ordem escolhida. Isso pode levar uma hora ou mesmo alguns dias para ser feito, dependendo da duração do filme a ser produzido. Você poderá ter de alterar o comprimento dos videoclipes para adaptá-los perfeitamente uns aos outros; mesmo assim, ainda não fluirão como em um filme profissional. Não se preocupe com isso. 


Deixe passar algum tempo antes de retomar a montagem e, quando o fizer, certifique-se de que os videoclipes estejam dispostos na ordem em que deseja contar sua história. Se não estiverem, poderá mover os clipes para outro local, substituir por outros ou eliminá-los completamente. Quando tiver chegado a um resultado satisfatório da montagem, poderá completá-la com música, efeitos e transições. Em um determinado momento, será mais adequado pedir a opinião de terceiros, pois você está muito próximo do produto final e poderá ser levado a fazer pequenas alterações desnecessárias. 

Câmera de vídeo

Aprenda tudo sobre operação de câmeras de vídeo

clique aqui

Trabalho em televisão

Áudio
Geralmente, uma edição falha por falta de uma trilha sonora. Por isso, o software de edição de vídeo inclui ferramentas de edição básica de áudio que permitem reproduzir várias trilhas de áudio ao mesmo tempo. Se uma trilha contém a voz de uma pessoa e uma segunda tem música, a qualidade do filme poderá melhorar bastante. Uma terceira trilha deverá ser utilizada para sons acidentais, como o ladrar de um cão ou o barulho dos aplausos. Você poderá encontrar um exemplo útil em documentários da tevê, nos quais o som original do local é misturado com a voz sobreposta do locutor e com uma melodia que liga as seções entre elas. 
É possível ainda ter duas trilhas de áudio tocando ao mesmo tempo, por exemplo, o riso das crianças misturado com o ruído da animação de uma feira. Com o software, você poderá modificar os níveis de volume de várias trilhas. 


Legenda
Quando tiver completado seu filme com a trilha sonora, você certamente desejará acrescentar algumas legendas. Isso poderá variar entre uma sequência simples de créditos com informações sobre o produtor, o escritor, o diretor, o editor, etc. e efeitos em tela mais complexos, como legendas animadas ou estatísticas. 


Seu produto de edição de vídeo deverá ainda incluir software de legenda para poder incluir palavras na tela caso essa função já não esteja integrada ao programa de edição. 

Quando utilizar legendas isoladas do filme, tal como o nome de uma pessoa na tela, a melhor solução é mantê-la visível por tempo suficiente para poder lê-la em voz alta a uma velocidade não muito rápida.


Finalização
Assim que tiver feito ajustes no material em vídeo, definido a trilha sonora e acrescentado legendas, basta transferir a edição final (conhecida por montagem final) do computador para DVD ou para outra mídia. 


Certifique-se de que compreendeu o processo, praticando com um filme pequeno, de aproximadamente 20 segundos, por exemplo, antes de iniciar um projeto maior.


Editando em um computador, seus filmes ficam compatíveis com todos os formatos digitais do passado, presente e futuro. Saiba mais

2017 - 2020 © Ricardo Pizzotti