Cenografia no cinema e na televisão

Confecção do projeto cenográfico

Ricardo Pizzotti

Na televisão a confecção do projeto cenográfico é semelhante à do cinema. O cenário é projetado conforme previsto na sinopse, adequando-se a um enredo e aos personagens. Depois de elaborados os croquis e os estudos e aprovados pelos diretores e autores, os projetos são apresentados a toda a equipe técnica. A seguir são desenvolvidos, orçados e aprovados para construção.

 

Conforme explica Veiga (2010): 

 

       "Uma das características de cenários de estúdio, principalmente os maiores, é a possibilidade de segmentá-los, montando-se apenas trechos imprescindíveis em caso de necessidade, falta de espaço no estúdio, por exemplo; isso em geral é combinado previamente com a direção. Quanto ao gerenciamento industrial, o cenário deve atender aos quesitos de viabilidade de construção, sendo projetado, desenvolvido e detalhado pelo cenógrafo e sua equipe de forma que, respeitado o orçamento, ele possa ser construído sem que venha a apresentar problemas estruturais ou de acabamento no futuro. Cenários complexos, que implicam alto grau de acabamento, que possuam mais de um pavimento e tetos iluminados, são cada vez mais comuns, em função da alta definição e sofisticação dos equipamentos de gravação. Por isso devem ser analisados exaustivamente junto ao gerente de operações cenográficas ou produtor de cenografia.

       

Os gêneros existentes na televisão são muitos, mas percebíveis. O cenário de um talk-show, de um debate ou de um noticiário exige cenografias muito diferentes umas das outras, mas deve atuar como fundo de ação e destacar o apresentador, que é a peça mais importante, lembrando que a cenografia não inclui somente as paredes, design ou cores.

 

Mobiliários e objetos também devem merecer atenção. Os telejornais atualmente já não ignoram recursos de LEDs, plasmas ou elementos interativos, e os jornalistas movimentam-se e aparecem também de corpo inteiro. Os cenários virtuais são muito utilizados nesse tipo de programa, embora emissoras norte-americanas, como a CNN e a CBS, depois de usá-los durante um ano, tenham voltado para os cenários convencionais, por uma questão de credibilidade." 

Aprenda cenografia
Cenografia

Etapas para a criação cenográfica na televisão

 

1. Coleta de informações

 

  • Leitura da sinopse.

  • Gênero de programa (musical, jornalismo, esporte, variedades, dramaturgia, eventos, etc.).

  • Público-alvo.

  • Horário de exibição do programa.

  • Número de pessoas que ficarão no cenário (apresentadores, entrevistados, músicos, convidados, plateia e outros).

  • Dimensões do estúdio ou do local da montagem (medidas, características técnicas e acessos).

  • Conhecimento do plano de gravação do diretor: os ângulos de câmera, se há necessidade de praticáveis e quais os equipamentos que serão utilizados (grua, microfone boom, dolly, câmeras). 

  • Existência de grafismos, como logotipos e marcas, que deverão fazer parte do cenário e de efeitos especiais.

  • Verba disponível e prazo para a construção.

 

Com essas informações, o cenógrafo desenha esboços dos ambientes apropriados para o programa em consonância com a sinopse. 

 

2. Elaboração do projeto

 

Uma vez definidas as diretrizes plásticas e físicas do cenário, é feito o projeto técnico, desenho em escala reduzida (normalmente 1:50). O projeto pode ser feito manualmente ou em computador, com a ajuda de softwares.

 

3. Aprovação

 

A próxima etapa é apresentar o projeto para o diretor do programa ou cliente. Essa apresentação pode ser feita com desenhos em perspectiva, montagens fotográficas executadas em um editor de imagem, com maquetes físicas ou eletrônicas com programas como o Sketchup, 3D Max, Rhinoceros, Revit e Autocad. 

 

4. Orçamento

 

O orçamento é feito em uma planilha detalhada, com especificações dos materiais e suas espessuras, cores e bitolas, a quantidade de cada item, seu preço unitário e o preço total do cenário. 

 

5. Construção e montagem

 

Após a aprovação do orçamento pelo diretor, inicia-se a construção e montagem do cenário, e posterior desmontagem, pelos cenotécnicos. O cenógrafo deve acompanhar toda a construção, porque pode haver correções de projeto e construção, por questões estruturais, a pedido do diretor do programa ou do diretor de fotografia. O cenógrafo também deve estar presente durante as gravações ou transmissões ao vivo.

 

Dicas

 

1. As dimensões do estúdio de televisão ou de um set de filmagem devem permitir o enquadramento total da cena quando a câmera estiver com sua máxima abertura focal.

 

2. O pé direito deve ter altura suficiente para a instalação dos suportes de iluminação e evitar o aquecimento excessivo do ambiente pelas lâmpadas. Caso contrário, usar preferencialmente iluminação fria.

 

3. Portas e janelas devem estar fechadas e, se for o caso, cobertas, para evitar a entrada de luz externa que, misturada à iluminação artificial, altera a temperatura de cor.

 

4. Os pisos devem ser de cores escuras e frias para evitar reflexos indesejados em elementos do cenário, nos atores e nas lentes das câmeras. Objetos de cena também devem ser de materiais não refletivos. Pisos de matérias emborrachadas absorvem melhor as ondas sonoras.

 

5. Cenários e adereços devem primeiramente obedecer à lógica do posicionamento das estruturas de iluminação. São muito mais viáveis mudanças de cenário do que de estruturas elétricas e de iluminação.

 

6. O cenário deve ser funcional e facilitar o posicionamento e a movimentação das câmeras e do boom.

2017 - 2020 © Ricardo Pizzotti